Território Deficiente Território Deficiente

Tenho uma Deficiência, vou ficar Sozinho (a) pro Resto da Vida?

23 setembro
A imagem mostra um pão de forma no formato de um coração e partido com uma rosa a seu lado

Mais um papo sobre relacionamentos, pois é algo que causa muita insegurança em boa parte das pessoas, na verdade causa insegurança em praticamente todo o mundo. Longe de mim generalizar, querer falar que é uma questão somente do sujeito com deficiência. Vamos lá para alguns pontos importantes:

  Como eu faço para conseguir um namorado (o)???
  Eu não consigo ninguém!!!
  Ninguém quer namorar com uma pessoa com deficiência!!!
✓  Pessoa com deficiência não consegue namorar!!!
  Pessoa com deficiência só consegue ter um relacionamento com outra pessoa com deficiência!!!

Tenho uma Deficiência, vou ficar Sozinho (a) pro Resto da Vida?

A imagem mostra um pão de forma no formato de um coração e partido com uma rosa a seu lado

Agora, vamos tentar fazer um caminho para você abrir os horizontes e ter um ou diversos relacionamentos. Veja, aqui não existe revista de adolescente que ensina uma fórmula, como se fosse resolver o problema com ela!! Aqui, o nosso objetivo é fazer você pensar e quem sabe fazer você se movimentar, buscar novos caminhos!!!

Em primeiro lugar, quero comentar sobre este questionamento: Pessoa com deficiência não consegue namorar!!! Isso não é verdade! Tem muitos casais por aí, onde um dos parceiros tem uma deficiência e outro não!!! Agora, vem aqui, qual é o problema de namorar uma outra pessoa com deficiência?

Você tem preconceito com a deficiência? É, porque se você tem, você é o primeiro a ser preconceituoso! E ai, não pode exigir que alguém, quem quer que seja, te aceite!!! Bom? Primeiro, trabalhe o seu preconceito!  Só depois, pense, no preconceito do outro! Falo, de uma maneira geral, não só em relacionamentos, mas sim, para a vida! Se aceite!!!Se aceitou?Então podemos continuar a nossa caminhada... 


Realmente, não é fácil a pessoa com deficiência ir para balada, por exemplo, e sair ficando com todo mundo. É muito comum a gente ir e ficar na seca, chupando dedo e segurando vela!!! Para a pessoa com deficiência a balada, não é bem o melhor lugar para encontrar uma pessoa. Por que? Porque normalmente balada é onde a pessoa olha primeiro para a aparência, se é bonito/a, gostoso/a e outra música alta, barulho, não tem nem como conversar, conhecer alguém... 

Não estou falando que é impossível a pessoa com deficiência conhecer alguém na balada, só que é um poucochinho mais complicado! Vai sim para balada, se divirta, dance, brinque, beba, se rolar algo, que bom, se não rolar, beleza, não tome isso como uma verdade absoluta!!! Digo, porque não significa que você vai ficar sozinho (a), que não vai te relações com outras pessoas. É mentira! Ninguém fica sozinho (a), só porque tem uma deficiência!!! 

A base de um relacionamento, de um interesse, que não seja apenas carnal, físico, que é comum nas baladinhas, é a amizade, a conversa, a vontade de ouvir a opinião daquela determinada pessoa, de estar junto com ela. É aqui que nasce um relacionamento, um amor verdadeiro!!! Aí entra a pessoa com deficiência, você precisa permitir que o outro te conheça, veja que você não é uma deficiência. Mas sim um ser humano com qualidades e defeitos, como qualquer outro e que a deficiência é só mais uma característica sua!


Uma ferramenta que parece auxiliar muito é a internet, olha não é só a pessoa com deficiência  que usa, há tanta gente que vai para a internet e conhece pessoas e namoram, casam, tem filho. Olha, peguei a internet como um exemplo prático, no entanto ela também serve para ilustrar o que falei ali em cima. Você na internet, você pode se apresentar, conversar, conhecer, ser quem você é, criar uma amizade e depois, com segurança falar sobre a sua deficiência. Conheço casos assim, onde a pessoa com deficiência casou!

Não digo que tem que ser assim, que essa é a fórmula certa e única, não é!!! O que você precisa, é sair da sua zona de conforto, do seu sofá, do mundinho! Sair, conhecer pessoas, conversar, ter amigos (as)!!! Não ser vítima!!! Encare o mundo, se adapte a ele!!!

Gostaria de se aprofundar no assunto: Relacionamentos, Intimidade e Sexualidade das Pessoas com Deficiência? Então clique aqui e conheça o projeto território deficiente e-books. 


Para não perder nenhuma das nossas atualizações, postagens e dicas recomendamos que você:

Assine o blog gratuitamente;
Siga-nos no Instagram;
Curta-nos no Facebook;
Siga-nos no Pinterest

Essa postagem é exclusiva, não cometa crime de plágio!!! Cite a fonte e o link do blog pelo qual fez uso do artigo.


0 Comentários

Desemprego, Deficiência e Renda Extra: Uma Dica Especial! (Download Grátis)

22 setembro
Segundo dados do Instituto Brasileiro de geografia e Estatística (IBGE), existem atualmente cerca de 20 minhões de desempregados no brasil. Entre essas pessoas estão milhares de deficientes, é claro! Em meio a essa crise econômica temos observado que as pessoas estão se virando como podem para que não falte a comida na mesa. 

Desemprego, Deficiência e Renda Extra: Uma Dica Especial! (Download Grátis)

A imagem mostra uma lâmpada e dentro dela a logomarca do território deficiente

Uma situação peculiar está acontecendo. Muitos deficientes estão desempregados e outros recebem o bpc, a questão é que o benefício de prestação continuada é de um salario mínimo 1.045,00 pra sermos exatos. Esse valor a princípio seria para custear as despesas do deficiente carente, agora está sendo usado para socorrer a família desse deficiente, ou seja, a coisa complicou ainda mais.

UMA DICA ESPECIAL!

Com base na problemática do desemprego trazida nesse no post, pensamos, pensamos, e tivemos uma ideia que vamos te trazer em forma de dica. Você tem um cantinho na casa que não usa ou uma garagem vazia? Que tal juntar essa turma desempregada para buscar uma renda extra? Legal, estou começando a gostar da ideia, mas...

1. O que fazer?
2. O que vender?
3. Como começar?

Nós do, território deficiente, elaboramos um e-book totalmente gratuito com 26 ideias de negócio que você pode começar ainda hoje e ter uma renda extra. Você poderá fazer o download desse e-book gratuitamente no botão abaixo...


Para não perder nenhuma das nossas atualizações, postagens e dicas recomendamos que você:

Assine o blog gratuitamente;
Siga-nos no Instagram;
Curta-nos no Facebook;
Siga-nos no Pinterest;

Essa postagem é exclusiva, não cometa crime de plágio!!! Cite a fonte e o link do blog pelo qual fez uso do artigo.


0 Comentários

Projeto quer Conceder 13º à Pessoa com Deficiência do BPC

14 setembro

As pessoas que receberão o 13º fazem parte do BPC, que garante um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso que não tenha condições de manter a subsistência.


Projeto quer Conceder 13º à Pessoa com Deficiência do BPC

A imagem mostra um celular e sobre ele o título da postagem


Está em tramitação na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4439/20 que visa autorizar o pagamento, no mês de dezembro de cada ano, de abono de até um salário mínimo à pessoas com deficiência e aos idosos com mais de 65 anos e que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O projeto é de autoria do deputado Darci de Matos (PSD-SC). Segundo o texto em análise, o valor do abono será proporcional ao número de meses de recebimento do BPC, sendo considerado mês completo após 16 dias.

O Benefício de Prestação Continuada é uma iniciativa que garante um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não ter como prover a própria subsistência, ainda que com o apoio da família.

"Isso significa morar em família com renda per capita de até 1/4 do salário mínimo, ou seja, de cerca de R$ 260. São milhares de famílias assim pelo Brasil”, lembra o deputado Darci de Matos.

O autor do projeto ainda diz que a ideia é fornecer mais condição social para famílias de baixa renda. “São pessoas pobres, que enfrentam muitas dificuldades e carências na vida diária. Por isso, devemos melhorar a proteção social dessas famílias fragilizadas, aumentando a transferência de renda”, conclui o autor. A proposta altera a Lei Orgânica da Assistência Social (Loas).

Observação do Território Deficiente

O BPC um dia já foi projeto, hoje é lei, ou seja, se você fizer a sua parte divulgar esse post, lutar por esse projeto ele também poderá se tornar lei e ajudar muitas pessoas com deficiência do BPC a terem o seu 13º salário.


Para não perder nenhuma das nossas atualizações, postagens e dicas recomendamos que você:

Assine o blog gratuitamente;
Siga-nos no Instagram;
Curta-nos no Facebook;
Siga-nos no Pinterest;

Fonte: Contábeis


0 Comentários

A Deficiência não é Você. Isso Precisa Ficar Claro!!!

08 setembro
Você pode ser: bacana, inteligente, bonito (a), cavalheiro, educado (a), simpático (a), cativante, estudioso, sensual, ter um belo sorriso, um ótimo currículo, voz bonita, papo agradável, facilidade de ensinar e aprender. Tudo isso faz os “holofotes” virarem para você  e te destacar familiar e socialmente.

A Deficiência não é Você. Isso Precisa Ficar Claro!!!

A imagem traz uma mulher desesperada com as mão na cabeça.

Conseguiu perceber quantas qualidades e adjetivos positivos uma pessoa pode ter? E olha que só coloquei alguns, existem muito mais. E onde quero chegar com tudo isso? Quero mostrar para você, leitor (a) do blog território deficiente, que você é muito mais que uma deficiência!!!

O que percebi ao longo dos anos é que muitas pessoas não conseguem se desvencilhar das características da deficiência! A deficiência não é você. Isso precisa ficar claro, você é pessoa com deficiência e deve sim valorizar suas qualidades, suas habilidades e seus talentos.

A DEFICIÊNCIA NÃO É VOCÊ

A pessoa sempre deve vir antes da deficiência, e não é no sentido figurado de terminologia correta da palavra, mas no sentido prático da vida, isso precisa ser entendido, você não pode fazer da deficiência uma enorme carga pesada e colocá-la em suas costas e carregar todos os dias. Repito: A deficiência não é você.

Você é o Marcio, a Maria, a Fernanda, o Antônio, a Patrícia, o Francisco, pessoa com deficiência! Quando você tiver essa concepção, e deixar a deficiência em segundo plano, irá descobrir novos horizontes e viverá experiências que nunca imaginou que teria.

Você terá outra vivência entre as pessoas. As dificuldades e limitações da deficiência vão existir, é obvio que sim, ela está ali e sempre vai estar, mas não em um lugar de destaque, sendo um complicador, porque outras coisas serão valorizadas e terão maior importância em seu viver.


Guarde o título desse post como um mantra, um ponto de partida. A deficiência não é você. É importante passar essa mensagem para outras pessoas que vivem em função da deficiência, quando na verdade deveriam viver suas vidas de forma plena. Buscar relacionamentos, paqueras, sucesso profissional, namoros, passeios, viagens e por aí vai...

DEIXE SUA DEFICIÊNCIA EM SEGUNDO PLANO E FOQUE EM SUAS QUALIDADES

Muitas pessoas dão tanta ênfase as suas deficiências que acabam deixando de lado suas qualidades, talentos e habilidades. Quando na verdade deveriam deixar a deficiência de lado e priorizar suas qualidades. Vamos colocar aqui dois exemplos para você entender melhor a proposta do post:

Stephen Hawking - Físico

A imagem mostra Stephen Hawking em sua cadeira de rodas motorizada.

O físico britânico, Stephen Hawking, cujo trabalho na área da relatividade e dos buracos negros se destacou, morreu aos 76 anos de idade. Disseram seus filhos sobre ele: "Estamos profundamente tristes com a morte, do nosso adorado pai. Foi um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado permanecerão por muitos anos”.

Foi em 2014 que chegou aos cinemas "A Teoria de Tudo", filme que relatava o processo da sua deficiência, sua relação romântica com Jane Hawking, a sua primeira esposa, e a sua vida acadêmica... Fonte: Sapomeg

Nelson Ned - Cantor, Compositor e Interprete

A imagem mostra Nelson Ned em uma de suas apresentações, ele está com um microfone na mão

Cantor, compositor e intérprete musical. Desfilou seu talento no Brasil e no mundo. Nelson Ned, como é conhecido, deixou-nos em 2014, com 66 anos. Ele teve infecção pulmonar e urinária e não respondeu bem aos medicamentos. Fez sucesso e carreira no mundo musical por muitos anos, detentor de uma belíssima voz. Foi, pai, esposo, pessoa do bem, educado. Detalhe: Nelson Ned era pessoa com deficiência - Nanismo.

A gente colocou dois exemplos aqui e poderíamos ter colocado vários, mas a ideia principal não era essa. O objetivo central desse post é mostrar para você que a sua deficiência não pode ocupar um lugar de protagonismo na sua vida, a deficiência não é você!

Inspiração: Dois e-books nos ajudaram e inspiraram para a elaboração desse post. Vamos deixar aqui os links deles para você, caso queira, conhecer e adquirir.


Para não perder nenhuma das nossas atualizações, postagens e dicas recomendamos que você:

Assine o blog gratuitamente;
Siga-nos no Instagram;
Curta-nos no Facebook;
Siga-nos no Pinterest;

Essa postagem é exclusiva, não cometa crime de plágio!!! Cite a fonte e o link do blog pelo qual fez uso do artigo.


0 Comentários

Deficiência e Sexualidade: O Guia Essencial!!! [Sete dias Grátis]

28 agosto
O que determina a maneira como uma pessoa viverá está relacionado a cultura do ambiente em que ela vive e os padrões estabelecidos. Com a sexualidade da pessoa com deficiência não poderia ser diferente.

Deficiência e Sexualidade: O Guia Essencial!!! [Sete dias Grátis]

Deficiência e Sexualidade: O Guia Essencial!!! [Sete dias Grátis]

A própria deficiência ainda é um tabu a ser superado, pois grande parte das pessoas, até o presente momento, não enxerga a pessoa com deficiência como parte atuante na sociedade. Ainda somo vistos como coitadinhos sofredores e castigados por Deus.

Essa maneira de enxergar as coisas nos impede de participar ativamente de debates importantes como a sexualidade, por exemplo. Porém, muitos se esquecem de que a própria Lei Brasileira de Inclusão nos garante esse direito.

Em seu artigo 8º ela fala claramente: “É dever do Estado, da sociedade e da família assegurar à pessoa com deficiência, com prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à sexualidade, à paternidade e à maternidade...”

O mais estranho, contudo, é que algo tão natural ao ser humano precise ser garantindo em lei em pleno século 21. Isso mostra o atraso da nossa sociedade e escancara a maneira como somos vistos: Ainda existe uma grande luta para sermos acolhidos como seres humanos.

E como não somos vistos como seres humanos, na cabeça de alguns, não temos o direito de sentir desejos, ter prazer ou expressar nossa sexualidade livremente. É tempo de entender, de uma vez, que os tabus e paradigmas somente são quebrados a partir do conhecimento e de debates esclarecedores a respeito do tema.


É preciso falar abertamente sobre a sexualidade das pessoas com deficiência. Enquanto não encararmos essa questão de frente, falando sobre o assunto em rodas de conversas sérias e não apenas na mesa de bar, continuaremos sendo considerados (as) pessoas assexuadas, estereotipadas e não merecedoras de sentir prazer.

Para contribuir com essa questão, nós, do Blog Território Deficiente, preparamos um material rico em informações onde o assunto sexualidade da pessoa com deficiência é abordado de forma leve, descontraída e com seriedade.

No E-book Sexualidade e Deficiência: Esse é o Assunto! Apresentamos temas que devem ser abordados entre familiares e pessoas com deficiência que, muitas vezes, se enche de crenças limitantes e se descuidam da própria sexualidade.

Resolvemos criar esse material, pois é preciso que a sociedade entenda, definitivamente, que as pessoas com deficiência são seres humanos como qualquer outro. No e-book, abordamos assuntos atuais de maneiras diferentes para que você possa ter uma sexualidade ativa, segura e saudável.


Estamos convictos de que podemos e devemos sentir prazer, experimentar sensações e expressar nossa sensualidade, colocando-a à flor da pele. Conheça o E-book Sexualidade e Deficiência: Esse é o Assunto!

Não deixe que os paradigmas e estereótipos continuem controlando a forma como você vive e experimenta sua sexualidade. Deixe de ter uma vida sexual reprimida por conta dos preconceitos externos e internos. Se solte por meio do conhecimento que estamos te entregando nesse material rico e completo, pois você pode ser feliz através de uma sexualidade plena. Clique aqui agora e conheça o novo mundo da sexualidade das pessoas com deficiência.




Para não perder nenhuma das nossas atualizações, postagens e dicas recomendamos que você:
Assine o blog gratuitamente;
Siga-nos no Instagram;
Curta-nos no Facebook;
Siga-nos no Pinterest;


Essa postagem é exclusiva, não cometa crime de plágio!!! Cite a fonte e o link do blog pelo qual fez uso do artigo.


1 Comentários

Deficientes: Relacionamentos Virtuais Rumo a Amores Reais

27 agosto
Deficientes: Relacionamentos Virtuais Rumo a Amores Reais

Falar sobre questões que envolvem pessoas com deficiência sempre foi um desafio, esbarrando em áreas científicas, educacionais, éticas e culturais. Quando o assunto é amor então, entraremos também no campo da estética e das vaidades humanas.

Deficientes: Relacionamentos Virtuais Rumo a Amores Reais

Deficientes: Relacionamentos Virtuais Rumo a Amores Reais

Fato é que desde 1981 (Ano Internacional da Pessoa Deficiente, quando se iniciou um movimento político, gerando inúmeras conquistas positivas), já conseguimos espaço em setores como educação, mercado de trabalho, eliminação de barreiras arquitetônicas, dentre outras.

Mas com relação a relacionamento, amor e namoro parece existir uma barreira invisível e intransponível. Ainda mais numa cultura imposta pela mídia, propagando um único modelo de beleza, um culto ao corpo perfeito.

Segundo dados do IBGE, observa-se que entre as pessoas com percepção de incapacidade há uma alta incidência entre os que nunca formalizaram uma união (3,1%), enquanto que entre os que casaram no civil e no religioso essa taxa é de 2,7%. São resultados que acabam refletindo a maior dificuldade dessas pessoas de estabelecerem laços matrimoniais e de constituírem família quando comparados às pessoas com deficiência em geral.

Vinda da Internet

Felizmente, nós seres humanos temos uma imensa capacidade de encontrar soluções para os mais diversos problemas com saídas estratégicas, buscando em nossas angústias e anseios forças até mesmo desconhecidas que nos impulsionam para frente, rumo aos nossos objetivos!

Atualmente e com o advento da internet, tem sido grande o número de pessoas com deficiência que está encontrando seus amores e parceiros nos sites de namoro e relacionamentos. Isto porque os primeiros contatos virtuais por e-mails e outras formas de bate-papo via computador eliminam o impacto inicial, o estigma, os preconceitos herdados culturalmente de quem vê pessoas com deficiência pela primeira vez.

Esse tipo de contato permite que ambas as partes se conheçam internamente, apresentem-se, conte um pouco de suas histórias pessoais, seus planos, intenções e a revelação parcial de suas personalidades. E o primeiro encontro no mundo real ocorrerá depois de um tempo, quando haverá uma opinião e uma visão já formada do outro. E hoje temos até site de namoro só para pessoas com deficiência – embora pessoalmente acho que seja uma maneira de formar guetos!


Consequência disso pode ser o início de namoros. Encontro entre duas pessoas que se atraem de diversas formas, não só fisicamente, mas também pelo jeito de falar, de olhar, que gostam das mesmas coisas, ou não, o que faz com que se aprenda um com o outro. Um tempo para se conhecer, um treino para ter uma vida a dois mais prolongada, casar, ter filhos, uma família.

Deficientes: Relacionamentos Virtuais Rumo a Amores Reais

Vale lembrar que passamos em média as duas primeiras décadas de nossa vida em companhia da família; mas quando escolhemos alguém para casar, além de completar nossas necessidades afetivas e existenciais, também estamos escolhendo o companheirismo de uma pessoa para cuidar e sermos cuidados por resto da vida!

Um relacionamento saudável é aprender a conviver com o que a outra pessoa tem de potencial e de dificuldade, mesmo que ela não tenha uma deficiência evidente. Confiar um no outro, poder dizer o que sente, falar das suas inseguranças, do medo de não ser amado, do ciúme (que é normal)… E insegurança não é algo exclusivo de quem possui uma deficiência, pois ela é parte do ser humano, todo mundo tem medo de ser rejeitado. 

Aliás, esse é o jogo do amor; as pessoas querem e têm o direito de se conhecer, mas não com a obrigatoriedade de ficar, namorar necessariamente com a outra, que talvez não correspondeu às suas expectativas, não despertou-lhe o chamado “algo a mais!”. Namorar pode trazer alguns “problemas” inesperados para quem tem uma deficiência, principalmente no campo familiar.


Muitos pais temendo que os filhos sejam magoados e/ou rejeitados por pessoas sem deficiência dificultam essa fase na vida dos filhos, criam obstáculos para isto ou simplesmente nem permitem diálogos sobre o assunto em casa, imaginam que, com isso, vão proteger o filho (a). Chegam a cometer o erro de desejar que o filho (a) encontre alguém que tenha questões parecidas para ser mais bem compreendido (a). Não aceitam que todos têm direito de conhecer, conviver e escolher com quem deseja dividir a sua vida.

Existindo afeto e sinceridade numa relação, as outras coisas vão se arrumando. Cabe à família de uma pessoa com deficiência favorecer este desenvolvimento sem superproteção, porém viabilizar o encontro, a convivência, o namoro, a construção do novo núcleo de expansão familiar.

Uma pessoa sem deficiência que se propõe a entrar num relacionamento dessa natureza, poderá também sofrer algumas consequências iniciais. Um boicote, oposição de sua família; afastamento de alguns de seus amigos; ser motivo de algumas chacotas. Mas se esse relacionamento e sentimento forem verdadeiros, o tempo se encarregará de derrubar barreiras, preconceitos e gerará aceitação.

☛  Quer saber mais sobre: Namoro e Relacionamentos? Clique.

À pessoa com deficiência e quem com ela estiver cabe ter maturidade afetiva, equilíbrio mental e bom senso para encarar o desafio de viver um relacionamento sério na vivência do amor. Mas tudo isso são passos posteriores. O legal é que hoje temos a internet como aliada dos passos iniciais de encontro. 

Só é preciso ter certa malícia e tomar um cuidado: A rede mundial também é um campo minado com gente de boas e más intenções, só que, como escreveu Fernando Pessoa, “tudo vale a pena se a alma não é pequena!”.

Esse artigo foi escrito pelo psicólogo e escritor: Emilio Figueira
0 Comentários

Parceiros do Território