Território Deficiente Território Deficiente

PCDs: Crie um Blog e Trabalhe em Casa com ele!

25 fevereiro
Pcds trabalho em casa com blog - território deficiente

PCDs: Crie um blog e trabalhe em casa com ele! Existe um grupo de pessoas com deficiência na sociedade, que não conseguem entrar para o mercado formal de trabalho através da lei de cotas, e também não recebem nenhum tipo de ajuda ou benefício do governo, exemplo: BPC-LOAS, bolsa família, aposentadoria, programas sociais entre outros.

    PCDS: CRIE UM BLOG E TRABALHE EM CASA COM ELE!

    Boa parte dessas pessoas têm estudo e formação acadêmica, porém não conseguem ser inseridas no mercado de trabalho por muitos motivos, e ficam entregues a própria sorte. 

    Nós, do Território Deficiente recebemos muitos relatos por e-mails e whatshapp de pessoas nessa situação, buscando um norte, bicos, renda extra empreendedorismo e outras coisas do tipo.

    Se você faz parte desse contexto e não consegue trabalho, por que não criar seu próprio negócio? Seu auto-emprego? Já pensou nisso?  Estamos falando da construção de um Blog. E com ele você poderá trabalhar a partir de casa ou de qualquer outro lugar, basta estar com algum aparelho móvel e com acesso a internet.

    As pessoas passam horas navegando, curtindo, compartilhando, comentando conteúdos, fotos e vídeos. Com um blog você poderá continuar fazendo isso, mas ganhando dinheiro, interessante a ideia ,não é mesmo?

    POR QUE UM BLOG?

    Trabalhe em casa com blog - território deficiente

    Acredito que todos nós somos bons em alguma coisa, transformar esse talento em experiências que podem estimular, empurrar outras pessoas rumo aos seus objetivos pode ser uma situação importante na realização do sonho de alguém, e ao mesmo tempo a possibilidade de ganho financeiro para a pessoa talentosa.

    O Blog é o responsável por fazer essa ponte! Ele conecta pessoas, trazendo interação mútua, e você poderá aproveitar essa conexão para monetizar seu blog transformando-o em uma bela ferramenta de geração de trabalho e renda. Para dar início nesse empreendimento é preciso um pouco de estudo e dedicação.

    Estou decidido (a) vou criar um blog e trabalhar com ele, mas como farei e quais são as formas de monetização para eu ganhar dinheiro com meu blog? Essa resposta vem agora!!!

    CURSO BLOGGER EXPERT

    PCDs Blogger Expert - Território Deficiente

    Sabemos que não é fácil iniciar. As vezes ficamos perdidos, principalmente com o acúmulo de informações. Existem alguns conteúdos grátis na internet que podem te ajudar a criar um blog e trabalhar com ele. 

    Mas é claro, não podemos comparar com um curso completo, que vai te ensinar passo a passo o caminho certo, para você criar o seu blog do zero ainda hoje, e começar a ter renda a partir de casa! 

    A gente aqui no território deficiente, utilizamos e recomendamos o Curso Blogger Expert. Através dele você será capaz de criar um blog completo e profissional do absoluto zero e ganhar um bom dinheiro com ele. 

    Nele você vai saber sobre: Monetização, criação de páginas de vendas, e-mail marketing, mini sites, técnicas de SEO, divulgação do blog nas redes sociais, e muito mais usando apenas ferramentas gratuitas. ⠀

    Ficou interessado, quer empreender como  criar o seu blog? Então clique no botão, que vamos disponibilizar logo abaixo, e comece hoje mesmo a trabalhar a partir da sua casa!



    O QUE VOCÊ VAI APRENDER NO CURSO BLOGGER EXPERT?

    Trabalhe em Casa com Blog - Território Deficiente

    👉 Criar um blog passo a passo do zero;
    👉 Personalizar seu blog de forma geral;
    👉 Personalizar os links e url's;
    👉 Fazer a instalação de temas responsivos;
    👉 Desbloquear o blog para dispositivo móvel;
    👉 Fazer as configurações necessárias para os mecanismos de pesquisa;
    👉 Fazer redirecionamentos de https
    👉 Criação de marcadores e tags
    👉 Criar páginas gerais e de captura
    👉 Baixar vários ícones de graça
    👉 Criar favicon
    👉 Criar e-mail marketing grátis
    👉 Configurar o mailchimp
    👉 Criar janelas pop-up
    👉 Fazer landing page
    👉 Monetização e seo do blog
    👉 Aprender sobre: Marketing de afiliados
    👉 Criar isca digital para conversão
    👉 Aprender sobre: Gatilhos mentais
    👉 Como divulgar seus posts e artigos
    👉 Estratégias de vendas pelo blog
    👉 Tráfego orgânico com o buscador (PINTEREST
    👉 Criar Páginas de vendas e mini sites

    👉 Ainda terá os bônus: Instagram, Mídia kit e Layouts Responsivos!!!

    ESTOU BUSCANDO FORMAS DE GANHO GRÁTIS, ENTÃO PORQUE COMPRAR ESSE CURSO?

    Na verdade esse curso é voltado para quem está sem dinheiro, ele foi elaborado e pensado com objetivo de ajudar quem está começando! E mais, um bom almoço no shopping, vai te custar um valor maior do que esse curso custa, sem contar  que você aprenderá como recuperar esse valor utilizando ferramentas seguras e gratuitas!

    Caso já tenha um blog, mas está com poucas visitas, conheça o PINTEREST, um buscador com foco em imagens, bem parecido com as buscas do Google! milhares de visitas orgânicas que recebemos aqui no blog vem através do PINTEREST, conheça mais sobre essa ferramenta aqui! 


    Esperamos que tenha gostado do texto de hoje. Desejamos sucesso no seu negócio! 

    NÃO PERCA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

    👉  Quer receber assuntos como esse, direto na sua caixa de e-mail e ainda levar dois e-books grátis? Então assine o blog agora mesmo e siga-nos nas redes sociais, desde já agradecemos!!!


    TEMOS UM PRESENTE PARA VOCÊ!!!


    Além do blog, temos um projeto chamado: Território Deficiente E-books. Esse projeto tem como proposta levar conteúdo de qualidade para as pessoas com e sem deficiência em formato de e-books digitais. 

    📚 O seu presente é o seguinte: Você faz a adesão de um e-book e leva o segundo e-book de graça! Isso não é incrível? Clique aqui e aproveite, essa promoção pode acabar a qualquer momento!


    1 Comentários

    Como Interagir com uma Pessoa que usa uma Cadeira de Rodas

    16 fevereiro
    Como Interagir com um Cadeirante?

    As pessoas usam cadeiras de rodas por diversos motivos. Cadeiras de rodas permitem liberdade de mobilidade, como um carro ou uma bicicleta. Se você estiver interagindo com um cadeirante pela primeira vez, pode ser difícil saber como agir. 

    Você não quer ofender alguém acidentalmente, mas, ao mesmo tempo, quer ser útil e compreensivo. A coisa mais importante a lembrar é que as pessoas que usam cadeiras de rodas não são diferentes de você.

      COMO INTERAGIR COM UMA PESSOA QUE USA UMA CADEIRA DE RODAS

      SEJA RESPEITOSO (A)


      Como Interagir com um Cadeirante?

      1. Evite fazer suposições sobre as habilidades dos outros. Estar em uma cadeira de rodas não significa que a pessoa está paralisada ou incapaz de dar alguns passos. Algumas pessoas usam cadeiras de rodas apenas porque não podem ficar em pé por longos períodos ou têm problemas de restrição de locomoção. 

      Freqüentemente, pessoas com problemas cardíacos usam cadeiras de rodas para evitar esforço excessivo. Se você está curioso para saber por que uma pessoa está usando uma cadeira de rodas, é melhor perguntar do que presumir. 

      Considere adicionar um qualificador no início da pergunta, para que a pessoa possa recusar facilmente se se sentir desconfortável. Por exemplo, "Você se importa se eu perguntar por que você usa uma cadeira de rodas?"

      👉 Só pergunte a um usuário de cadeira de rodas por que ele usa uma cadeira de rodas depois de se familiarizar com ela. Esta pergunta não é apropriada para estranhos.

      Como Interagir com um Cadeirante?

      2. Fale diretamente com uma pessoa que usa uma cadeira de rodas. Se uma pessoa que usa uma cadeira de rodas estiver acompanhada por outra pessoa, envolva essa pessoa na conversa também, mas não no lugar da pessoa que usa a cadeira de rodas. Por exemplo, não dirija perguntas sobre a pessoa que usa a cadeira de rodas para o acompanhante.

      👉 Quando estiver em uma longa conversa com alguém em uma cadeira, sente-se. É muito cansativo - até doloroso - para uma pessoa em uma cadeira de rodas ter que olhar para você. 

      Como Interagir com um Cadeirante?

      3.Peça permissão antes de tocar na pessoa ou em sua cadeira de rodas. Dar tapinhas ou inclinar-se na cadeira pode ser interpretado como desrespeitoso. A pessoa pode estar usando uma cadeira de rodas por causa de um ferimento, então seu toque pode ser doloroso além de condescendente. Da mesma forma, não toque na pessoa de forma alguma.

      👉 Trate a cadeira de rodas como uma extensão do corpo de uma pessoa. Se você não colocasse a mão no ombro dessa pessoa, não coloque a mão na cadeira de rodas dela desnecessariamente. Sempre respeite o espaço pessoal do usuário de cadeira de rodas.

      SEJA ATENCIOSO (A)


      Como Interagir com um Cadeirante?

      1. Compreender a dificuldade de dirigir uma cadeira de rodas em público ao acompanhar uma pessoa cadeirante. Localize rampas de acessibilidade. Eles geralmente estão localizados nas laterais das portas ou próximos a banheiros, escadas e elevadores. 

      Ao embarcar em um caminho com vários obstáculos, pergunte: "Qual é a maneira mais fácil de fazer isso?" Ouça e siga as instruções com atenção.

      👉 Se você estiver hospedando um evento, certifique-se de que esteja acessível. Verifique o local para ver se há barreiras de entrada do prédio. Certifique-se de que os corredores e corredores sejam largos o suficiente para manobrar uma cadeira de rodas. 

      Os banheiros devem ser grandes o suficiente para virar a cadeira, e um corrimão é necessário. Se o evento for ao ar livre, o solo ou superfície deve permitir que uma cadeira de rodas se mova facilmente sobre ele. Cascalho, areia, superfícies macias ou muito irregulares podem representar um desafio.

      Como Interagir com um Cadeirante?

      2. Seja atencioso ao usar espaços públicos. Algumas áreas públicas são destinadas ao uso de cadeiras de rodas. Barracas específicas em banheiros, vagas de estacionamento e carteiras escolares são consideradas acessíveis para cadeiras de rodas. 

      Não use esses espaços a menos que esteja acompanhando uma pessoa que usa cadeira de rodas. Você tem a opção de usar todas as outras baias, vagas de estacionamento e mesas, mas as pessoas que usam cadeiras de rodas geralmente estão limitadas apenas às pessoas com acesso para cadeiras de rodas.

      👉 Ao fazer compras, esteja atento aos usuários de scooters / cadeiras de rodas e tente manter-se de um lado ou do outro do corredor. Compartilhe o corredor; ande como você dirige.

      👉 Ao estacionar, evite estacionar ao lado de uma van com placa de deficientes físicos que pareça estar longe de outros veículos. O ocupante da van com deficiência pode precisar do espaço vazio ao lado da van para abrir uma rampa quando o cadeirante retornar ao veículo. 

      Nem todas as vagas designadas para deficientes físicos têm espaço suficiente ao lado para acomodar a rampa, então às vezes é necessário que vans equipadas com rampa estacionem longe dos outros carros para obter o espaço necessário.


      Como Interagir com um Cadeirante?

      3. Ofereça, mas não presuma que uma pessoa que usa uma cadeira de rodas deseja ajuda. Se você encontrar uma situação em que um cadeirante possa precisar de sua ajuda, pergunte primeiro. Não se ofenda se uma pessoa recusar; eles são provavelmente muito independentes. 

      Por exemplo, se você vir uma pessoa em uma cadeira de rodas se aproximando de uma entrada, pode perguntar: "Gostaria que eu abrisse a porta para você?" Se vir uma pessoa usando uma cadeira de rodas lutando para subir uma ladeira íngreme, você pode perguntar "Gostaria que eu o ajudasse a subir a colina?"

      👉 Nunca mova a cadeira de rodas de uma pessoa sem permissão. Eles podem tê-lo posicionado para ser transferido de e para a cadeira com facilidade.

      SEJA EDUCADO (A)


      Como Interagir com um Cadeirante?

      1. Ao encontrar uma pessoa que usa uma cadeira de rodas pela primeira vez, aperte as mãos, como faria para cumprimentar qualquer outra pessoa. Um aperto de mão estabelecerá uma conexão física e diminuirá as barreiras psicológicas à conexão emocional. Mesmo nos casos em que a pessoa tem um membro protético, geralmente é aceitável apertar as mãos.

      👉 Se a pessoa não puder ou não quiser apertar sua mão, ela provavelmente recusará educadamente. Não se ofenda, a rejeição provavelmente é sobre preocupação em relação ao ato físico e não tem nada a ver com você.

      Como Interagir com um Cadeirante?

      2. Converse casualmente, como faria com qualquer outra pessoa. Não edite sua escolha de palavras para evitar referências a correr ou caminhar. As tentativas de evitar frases comuns como "atrasar-se" provavelmente apenas tornarão a conversa estranha. A maioria das pessoas em cadeiras de rodas não reconhece essas frases comuns como ofensivas.

      👉 Como em qualquer conversa, se a pessoa indicar que prefere que você evite determinadas frases, é educado atender ao pedido.


      Como Interagir com um Cadeirante?

      Evite fazer comentários ou piadas sobre a cadeira de rodas da pessoa. Pessoas em cadeiras de rodas costumam ser provocadoras. Por mais amáveis ​​que sejam, as piadas podem se tornar irritantes. Essas observações servem apenas para desviar a atenção da pessoa e redirecioná-la para a cadeira de rodas.

      👉 Se a pessoa fizer piadas sobre sua cadeira, pode ser apropriado juntar-se à brincadeira, mas nunca iniciá-la.

      FIQUE COM A GENTE E NÃO PERCA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

      Blog Território Deficiente
      Ainda está cedo, continue com a gente, vamos disponibilizar alguns textos que possa ser do seu interesse.


      👉  Quer receber assuntos como esse, direto na sua caixa de e-mail e ainda levar dois e-books grátis? Então assine o blog agora mesmo e siga-nos nas redes sociais, desde já agradecemos!!!


      Temos botões de COMPARTILHAMENTOS logo abaixo. Clique neles e espalhe essa postagem para o mundo, lembre-se: COMPARTILHAR É INCLUIR!!!

      2 Comentários

      O Muro não é Minha Deficiência!

      12 fevereiro
      O Muro não é minha Deficiência!

      A deficiência não pode ser colocada como uma barreira, um tipo de muro intransponível para os seus objetivos no tocante a sexualidade feminina! 

      Quando a mulher com deficiência entender que tem direito à sexualidade, que não é feio querer ser tocada, beijada, acariciada, amada, seu comportamento e atitudes mudam e a parte erótica fluirá naturalmente.

        O MURO NÃO É MINHA  DEFICIÊNCIA!

        A sociedade (Leu que é a sociedade?), que compreende pais, familiares, médicos, variados profissionais, costumam limitar a vida íntima das mulheres com deficiência como se a sexualidade não existisse ou fosse diminuída pela deficiência. 

        Por desconhecimento e/ou preconceito criam inúmeros mitos e passam a ter ideias erradas dessas mulheres, que são tão mulheres quanto às outras. Diga-se de passagem!

        Geralmente acham que são assexuais, inocentes, que não têm como decidir se querem ou não se relacionar intimamente. Muitas vezes, ao se depararem com uma mulher com deficiência grávida, a  primeira pergunta que se faz é: "Quem será que fez isso com ela"?

        Como se, por ter deficiência, a gravidez fosse necessariamente fruto de estupro ou de um ato tremendamente cafajeste que fizeram. Não se pensa que ela pode ter escolhido simplesmente transar como todo mundo faz!

        No entanto, o pior é quando os mitos estão na cabeça da mulher com deficiência. Então, inseguranças e medos aparecem com força total! Muitas evitam relacionamentos afetivos e íntimos por acreditarem que não podem despertar o interesse verdadeiro de alguém. 

        Assim, o MEDO (Leu a palavra medo) de não serem desejadas torna-se o principal obstáculo para os relacionamentos amorosos, e não a deficiência em si.

        É até compreensível esse comportamento, pois mulheres com deficiência costumam receber da própria família, desde pequenas, informações erradas sobre sua sexualidade. São superprotegidas, olhadas de formas esquisita quando saem, são massacrados pelo padrão do corpo simétrico ou mesmo proibidas do contato íntimo. 

        Diante disso surgem as perguntas: "Será que consigo? Será que o meu corpo "assim" vai provocar desejo? Será que mesmo não sentindo do pescoço ou da cintura para baixo vai ser bom? Será que minha falta de movimento me torna desinteressante"? Ai ai... são tantas perguntas!

        Mas, entenda, é necessário se desapegar desses mitos! Quando a mulher com deficiência entende que tem direito à sexualidade, que não é feio querer ser tocada, beijada, acariciada, amada, seu comportamento e atitudes mudam e a parte erótica flui com muito mais naturalidade.

        Por isso, se você tem deficiência, acredite no seu potencial de conquista e sedução. Pois, com certeza, você pode ter uma vida sexual ativa, livre, feliz e gostosa!

        Esse texto é baseado nos e-books Manual da mulher com deficiência e Sexualidade e Deficiência: Esse é o assunto. Dois materiais que ajudam pessoas com deficiência a se empoderarem de sua sexualidade. Se você não é feliz nessa área adquira esses os e-books agora mesmo!


        MANUAL DA MULHER COM DEFICIÊNCIA

        E-book: Manual da Mulher com Deficiência

        O UNIVERSO DA MULHER COM DEFICIÊNCIA JAMAIS SERÁ O MESMO APÓS A LEITURA DESSE E-BOOK DIGITAL. CONFIRA!


         SEXUALIDADE E DEFICIÊNCIA: ESSE É O ASSUNTO!

        Sexualidade e Deficiência: Esse é o Assunto!

        TRÊS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, DESMONTAM LENDAS E APROFUNDAM A DISCUSSÃO SOBRE SEXUALIDADE E INTIMIDADE...


        FIQUE COM A GENTE E NÃO PERCA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

        Blog Território Deficiente
        Ainda está cedo, continue com a gente, vamos disponibilizar alguns textos que possa ser do seu interesse.


        👉  Quer receber assuntos como esse, direto na sua caixa de e-mail e ainda levar dois e-books grátis? Então assine o blog agora mesmo e siga-nos nas redes sociais, desde já agradecemos!!!


        Temos botões de COMPARTILHAMENTOS logo abaixo. Clique neles e espalhe essa postagem para o mundo, lembre-se: COMPARTILHAR É INCLUIR!!!

        0 Comentários

        BPC: O que mudou em 2021? Confira Dicas para não Perder o Benefício!

        09 fevereiro
        BPC - Território Deficiente

        Temos um diretório aqui no blog voltado a leis e direitos das pessoas com deficiência, estar bem informado é fundamental na busca por uma sociedade mais justa e verdadeiramente inclusiva! 

        Na postagem de hoje vamos explicar as mudanças trazidas para BPC agora em 2021, quem são as pessoas que podem requerer o benefício e como devem agir para que obtenham o direito.

        Benefício de Prestação Continuada – é aposentadoria?

        A primeira coisa que a gente precisa esclarecer é que não se trata de aposentadoria. É um benefício assistencial, assegurado na Constituição Federal e que tem por objetivo garantir condição mínima de sobrevivência às pessoas mais necessitadas e que não possam prover seu próprio sustento pelo trabalho e nem por seus familiares.

        Se diferencia das aposentadorias não só por ser um benefício assistencial e não previdenciário, como são as aposentadorias, mas também por não ter o 13º salário e não poder ser transferido aos dependentes em caso de morte.

        Quem pode ser beneficiário do BPC?

        Podem receber o benefício de prestação continuada os idosos com mais de 65 anos e as pessoas com deficiência (física, mental, intelectual ou sensorial), desde que esta deficiência impeça sua participação plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições e, que não sejam capazes de prover a própria manutenção por si ou por sua família.

        Por sua vez, a Medida Provisória 1.023/2020 de 31 de dezembro de 2020 estabeleceu que para ser considerado vulnerável financeiramente é preciso que a renda per capita familiar seja inferior a ¼ de salário mínimo, ou seja, a renda per capita familiar precisa ser necessariamente inferior a R$ 275,00 (duzentos e setenta e cinco reais).

        Como calcular a renda per capita?

        No cálculo da renda per capita familiar é preciso saber quem é considerado família e quais os valores que entram nessa conta. Família, para fins de BPC, precisa necessariamente residir sob o mesmo teto do requerente e ser:

        ✓  Beneficiário (Titular do BPC)
        ✓  Seu cônjuge ou companheiro;
        ✓  Seus pais;
          Sua madrasta ou padrasto, caso ausente o pai ou mãe (nunca ambos);
          Seus irmãos solteiros;
        ✓  Seus filhos e enteados solteiros;
        ✓  Menores tutelados.

        Mas preste atenção. Só serão considerados parte da família do requerente do BPC para fins de cálculo da renda per capita, se residirem na mesma casa.

        Ainda que residam no mesmo terreno, mas não na mesma casa, não serão considerados seus ganhos para cálculo da renda per capita.

        Agora que você sabe quem é parte da família e quem não é, basta somar as rendas de todas as pessoas da sua família e dividir pelo número de moradores. Se for igual ou maior que R$ 275,00 por pessoa, em tese não há direito ao BPC.

        Mas atenção: não entram na conta da renda familiar per capita outro BPC ou um benefício previdenciário de até um salário mínimo já concedido a outro idoso ou pessoa com deficiência do mesmo grupo familiar.


        Como e onde requerer o BPC?

        O primeiro passo para quem quer pedir um BPC é fazer o CadÚnico, que é feito no CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) ou CRAS  (Centro de Referência de Assistência Social) da sua cidade. Para consultar onde estão os CREAS e os CRAS de sua cidade você pode entrar neste link oficial do governo.

        Para fazer o CadÚnico será necessário que você tenha mais de 16 anos, possua CPF ou título de eleitor e apresente os seguintes documentos do grupo familiar:

        ✓  CPF ou Título de Eleitor do responsável pela família;
        ✓  Certidão de Nascimento (solteiros) ou Certidão de Casamento (casados ou divorciados);
        ✓  RG (a partir de 16 anos) e CPF (a partir de 16 anos);
        ✓  PIS/PASEP/NIS;
        ✓  Carteira de Vacinação (para menores de 7 anos);
        ✓  Título de Eleitor (a partir de 18 anos);
        ✓  Carteira de Trabalho (a partir de 16 anos, mesmo que não esteja registrada);
        ✓  Holerite recente (caso esteja trabalhando);
        ✓  Extrato de benefício do INSS (pessoas que recebam algum benefício: aposentadoria, pensão, BPC);
        ✓  Declaração Escolar (atualizada: pessoas de até 18 anos em creches ou escolas);
        ✓  Comprovante de Residência (recente: máximo 2 meses);
        ✓  Guarda de Menores (caso algum morador desta casa não esteja com o pai ou a mãe).

        Feito o CadÚnico, é hora de partir para o requerimento do BPC propriamente dito. Você pode solicitar o BPC nas agências do INSS, pelo aplicativo “MEU INSS”, pelo site do INSS ou pelo 135. Mas  antes de ir a uma agência, cheque se estão sendo feitos atendimentos presenciais em razão da pandemia.

        Para requerer esse benefício você precisará de alguns documentos pessoais, do seu grupo familiar e ainda, de formulários do INSS:

        ✓  Formulário de requerimento de BPC – clique aqui;
        ✓  Comprovante de gastos do grupo familiar (água, luz, aluguel, etc);
        ✓  RG e CPF de todos os membros da família;
        ✓  Comprovante de renda de todos os membros da família (Carteira de Trabalho, recibo de pagamento, contrato de trabalho etc);
        ✓  Declaração de renda do grupo familiar;
        ✓  Exames médicos e atestados médicos para quem fará pedido de BPC da pessoa com deficiência;
        ✓  Comprovantes de gastos com medicamentos, tratamentos e tratamentos da pessoa com deficiência.

        9 Dicas extras para conseguir o BPC e não perdê-lo!

        BPC - Território Deficiente

        1. Não empreste seu nome a terceiros para compras, abertura de empresas, ou afins. Isso pode dar confusão na renda familiar e fazer você perder o BPC, se já está recebendo, ou não conseguir o BPC, se ainda está na fase do pedido;

        2. Mantenha seu CadÚnico atualizado e consulte-o com frequência. Muitas pessoas tiveram problema com informações incorretas no CadÚnico, inclusive cancelamento do BPC de forma indevida;

        3. Quem recebe BPC em regra não pode ter renda advinda do trabalho e acumular os dois. Exceto o BPC da pessoa com deficiência que consegue um contrato de aprendiz por até 2 anos;

        4. Quem recebe BPC por decisão judicial também precisa atualizar o CadÚnico no máximo uma vez a cada dois anos;

        5. Havendo mudança na renda per capita familiar, tornando a renda superior ao limite de ¼ do salário mínimo, o BPC é suspenso, até a apresentação de defesa pelo beneficiário e a depender da defesa, cancelado. Recebendo comunicação do INSS, procure ajuda profissional;

        6. Se a renda per capita for modificada por perda de renda de alguma pessoa do grupo familiar ou por aumento de número de pessoas no grupo familiar, atualize o CadÚnico;

        7. Se quiser e puder, faça contribuições como contribuinte facultativo para mudança de BPC para aposentadoria, mas somente como facultativo;

        8. O BPC pode ser acumulado com as pensões especiais (talidomida, zica ou hanseníase);

        9. O judiciário é mais flexível com o critério renda, e as perícias judiciais tendem a ser mais bem feitas, por isso, se você teve o seu benefício indeferido no INSS, vale a pena procurar a defensoria pública ou um advogado de sua confiança.

        Dica Extra do Território Deficiente

        Já pensou você saber: Como Conseguir o BPC/LOAS da Pessoa com Deficiência pelo INSS? Essa é a nossa dica especial! Clique no botão abaixo e acesse o e-book digital que vai te ensinar como conseguir o benefício!


        FIQUE COM A GENTE E NÃO PERCA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

        Blog Território Deficiente
        Ainda está cedo, continue com a gente, vamos disponibilizar alguns textos que possa ser do seu interesse.



        👉  Quer receber assuntos como esse, direto na sua caixa de e-mail e ainda levar dois e-books grátis? Então assine o blog agora mesmo e siga-nos nas redes sociais, desde já agradecemos!!!


        Temos botões de COMPARTILHAMENTOS logo abaixo. Clique neles e espalhe essa postagem para o mundo, lembre-se: COMPARTILHAR É INCLUIR!!!

        2 Comentários

        Pornô de Inspiração: Você Conhece esse Termo?

        05 fevereiro
        Pornô de Inspiração

        É sempre importante que saibamos todos os termos usados para se referir a nós, pessoas com deficiência, ou a situações que vivenciamos. Já falamos aqui no blog sobre: Cripface, Wannabe, Devotee, Capacitismo e Corponormatividade.

          PORNO DE INSPIRAÇÃO: VOCÊ CONHECE ESSE TERMO?

          Na postagem de hoje vamos trazer o significado da expressão "pornô de inspiração" é um termo que quase ninguém sabe. Então, vamos explicar e aprender o que essa expressão que dizer? 

          Aproveite e ajude a espalhar esse conhecimento encaminhando para seus amigos (as) e compartilhando nas redes sociais este post. Ah, comente também, sua participação é muito importante para nós!
          Pornô de inspiração é um conceito criado pela Stella Young, uma mulher que usa cadeira de rodas. O termo é esquisito e eu diria até pesado! Mas, quando aprendemos o que é, percebemos que seu significado é bem pertinente.

          A deficiência é entendida socialmente como, doença, incapacidade, prisão, etc. Assim, quem tem deficiência é, automaticamente, ligado a quem leva uma vida muuuuito ruim.
          O pornô de inspiração acontece quando pessoas sem deficiência comparam a vida delas com quem tem deficiência e SENTEM PRAZER, SATISFAÇÃO, ALÍVIO, com isso. Pois, a comparação as motiva a não reclamar, chorar, desistir. 

          É como se ela tivesse sorte de não ter deficiência! Nessa lógica, o entendimento é de que, se mesmo com essa "vida de merda" quem tem deficiência, trabalha, namora, vai à faculdade, ela deve ser "admirada" e colocada como exemplo. Ela é o máximo! Especial (Ainda que nem se conheça seu caráter para afirmar isso)!
          Sendo assim, o "pornô", vem da percepção de que as pessoas sem deficiência nos objetificam para que se sintam melhor. Não nos vendo além da deficiência, só como objeto de prazer para se sentirem bem.

          EXPRESSÕES DO PORNÔ DE INSPIRAÇÃO

          Pornô de Inspiração

          👊 Conheça nossa página, e siga-nos no pinterest, é rapidinho! 👀

          O, "pornô de inspiração", proporciona o capacitismo, disfarçado de elogio É é daí que surgem expressões "pornôs" como:
          👉 Quando vejo pelo que você passa paro de reclamar na hora;
          👉 Você é um exemplo de superação para mim;
          👉 Se você que é assim e não tem depressão eu não tenho o direito de ter;
          👉 Quando estou sem forças penso em você;
          👉 Me inspiro em você;
          👉 Você é assim e é feliz, então todos nós devemos ser felizes!
          Essas e muitas outras expressões são exemplos de "pornô de inspiração"! Deu para entender? Lembra dos comentários? Então, diga aí pra gente se deu para aprender o que significa o termo "pornô de inspiração" ou se deu para ter, pelo menos, uma ideia. Beleza?

          FIQUE COM A GENTE E NÃO PERCA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

          Blog Território Deficiente
          Ainda está cedo, continue com a gente, vamos disponibilizar alguns textos que possa ser do seu interesse.


          👉  Quer receber assuntos como esse, direto na sua caixa de e-mail e ainda levar dois e-books grátis? Então assine o blog agora mesmo e siga-nos nas redes sociais, desde já agradecemos!!!


          Temos botões de COMPARTILHAMENTOS logo abaixo. Clique neles e espalhe essa postagem para o mundo, lembre-se: COMPARTILHAR É INCLUIR!!!

          3 Comentários

          Pessoas com Deficiência Relatam Realidade dos Namoros

          01 fevereiro
          Deficiência - Namoro - Relatos

          Sabe aqueles assuntos que rendem? Pois bem, Namoro e Deficiência é um deles. Temos alguns textos aqui no blog sobre esse tema. Mas na postagem de hoje, vamos trazer relatos de casais que falam sobre o estigma social que significa namorar alguém com deficiência, vamos lá? Esse assunto vai render...

          Pessoas com Deficiência Relatam Realidade dos Namoros

          Deficiência - Namoro - Relatos
          Em diversos relatos, casais contam o estigma social que significa namorar alguém com deficiência | Foto: Brayan Riker

          Um casal famoso foi alvo de preconceitos nos últimos dias. Depois que Hannah e Shane Burcaw se casaram em uma cerimônia íntima em casa, eles compartilharam uma foto do evento nas redes sociais. Mas eles receberam de volta mensagens como estas:

          Deficiência - Namoro - Relatos

          “Falando sério agora... ela também tem outro parceiro para relacionamentos íntimos?", diz um pessoa no comentário. "Ele é rico ou algo assim?", comenta outra pessoa. "Meu Deus... isso deve ser photoshopado”, comentou outra pessoa.

          Os alvo dos comentários maldosos são os YouTubers Shane e Hannah. Ele tem deficiência, e ela não. Shane tem atrofia muscular espinhal e usa cadeira de rodas desde os dois anos. Temos a matéria completa desse caso aqui. 

          Tratam a deficiência como se fosse uma doença 

          Deficiência - Namoro - Relatos
          Uma pesquisa, de 2014, sugere que 44% dos britânicos incluídos na amostra não considerariam fazer sexo com alguém que tivesse uma deficiência física | Foto: Brayan Riker

          Uma pesquisa, de 2014, sugere que 44% dos britânicos incluídos na amostra não considerariam fazer sexo com alguém que tivesse uma deficiência física, enquanto 50% não descartariam a possibilidade.

          “Eu vejo que a sociedade ainda rejeita no olhar. Existe uma distância, principalmente para quem é cadeirante de rodas. As pessoas tratam a deficiência como se fosse uma doença: ‘Coitadinho, ele não pode”, revelou Magno Sancho, militante da causa da deficiência.

          Magno revela que logo que se juntou com a mãe de seus filhos, quando eles saiam, não ia de cadeira de rodas, ele se arrastava. “Eu me arrastava pois era cotó e as pessoas tomavam um susto. Ela ficava com muita raiva, mas explicava para ela que essas pessoas que estavam julgando não têm contato direto comigo. Elas não estão acostumadas. Eu nunca sentia que era deficiente, ia para todo lugar”.

          As pessoas ficavam nos olhando

          Deficiência - Namoro - Relatos
          Wivianne Ferreira é casada há três anos com Sonny | Foto: Brayan Riker

          Wivianne Ferreira é casada há três anos com Sonny, mas eles vivem juntos há 10 anos. Ela e o marido são professores de Educação Física. Eles se conheceram num curso de Educação Física Adaptada. Dois anos depois eles tiveram contato novamente e decidiram começar um namoro, em 2011. Hoje eles têm uma filha de sete anos.


          Para ela, antes de se falar em preconceito, é necessário que a pessoa com deficiência se aceite para que o preconceito não seja uma barreira para viver.

          “Eu e meu marido nunca sofremos preconceito. Mas é claro, nós saímos juntos para praças ou shoppings, e as pessoas ficavam olhando. Meu marido é mais novo que eu e sempre as pessoas ficam nos olhando”, contou.

          O respeito contribuiu para que o relacionamento do casal sempre fosse forte. Wanessa afirma que nunca teve problema com a deficiência. Desde que soube que teria que amputar, em 2006, ela sabia que teria uma vida comum. “Não seria como antes, mas sabia que poderia ter ajuda de próteses e muletas. Então nunca me deixei me abalar por conta disso. 

          A relação com meu marido é muito forte, porque ele sempre me ajudou bastante. Até por ele ser mais novo, eu perguntava se atrapalharia, mas ele nunca viu problema”.

          Regra da vida para ser feliz

          Magno ressalta que para ser feliz é necessário se amar primeiro. Deus te dá oportunidade. Nada de um olhar te deixar para baixo. Se ame primeiro, não se ache inferior a ninguém. Posso namorar, casar e construir uma família sim”, encerra o relato.


          Fique com a Gente e não Perca Nossas Atualizações!

          Blog Território Deficiente
          Ainda está cedo, continue com a gente, vamos disponibilizar alguns textos que possa ser do seu interesse.


          👉  Quer receber assuntos como esse, direto na sua caixa de e-mail e ainda levar dois e-books grátis? Então assine o blog agora mesmo e siga-nos nas redes sociais, desde já agradecemos!!!


          Temos botões de COMPARTILHAMENTOS logo abaixo. Clique neles e espalhe essa postagem para o mundo, lembre-se: COMPARTILHAR É INCLUIR!!!

          0 Comentários

          Parceiros do Território