Sou pessoa com deficiência, estou ficando velho (a). O que será de mim? - Território Deficiente
Inscreva-se grátis para receber nossas novidades e atualizações!

Sou pessoa com deficiência, estou ficando velho (a). O que será de mim?

Esse artigo pode chegar a mais de 50 milhões de deficientes!!! Pratique a Inclusão, Compartilhe esse Post.
Compartilhe
Sou pessoa com deficiência, estou ficando velho (a). O que será de mim?

O texto de hoje aqui no blog é complexo, ele nos leva a uma reflexão profunda e a uma pergunta capital que acreditamos que você já fez em algum momento da sua vida, estou ficando velho (a). O que será de mim?

Sou pessoa com deficiência, estou ficando velho (a). O que será de mim?


"És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo, tempo, tempo, tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo, tempo, tempo, tempo”

Tenho medo do tempo!!! Sabe por que? Porque tenho uma deficiência, meus pais sempre cuidaram de mim, fazem o melhor para mim, só que o tempo passa, eu vou ficando mais velho (a), até ai tudo bem!!! A questão, o problema, é que eles também, a idade chega, eles também vão precisar de ajuda, de cuidados continuados e aí?

☛ Quem vai cuidar de mim?
☛ Irmãos?
☛ Primos?
☛ Filhos?
☛ Sobrinhos?
☛ Marido?
☛ Esposa?
☛ Quem?
☛ Será que vão me abandonar em algum lugar qualquer?
☛ Como vai ser a minha vida?

Sou pessoa com deficiência, estou ficando velho (a). O que será de mim?

Tenho medo, muito medo mesmo!!! Poxa, nunca me faltou nada!! Sempre respeitaram as minhas manias, que não são poucas, mas quem não tem manias? Meus pais, sempre me respeitam como  um ser humano. Será que na falta deles, eu vou continuar sendo um ser humano?

“Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo”

Quem vai deixar de fazer as suas coisas, para olhar, se dedicar, um tempo a mim? Estou pegando pesado no texto, porque de fato é algo que me preocupa. Veja, tenho 3 irmãos, 2 irmãs e um irmão, a gente tem um relacionamento bacana,  mas cada um tem a sua vida.

Eles não deixam de fazer nada, para me ajudar, claro que estou falando do  dia a dia, nada de urgência!!! Exemplo, é raro me chamarem para ir jantar, ir a um cinema... A gente vai, mas sempre os meus pais estão juntos.

Então fala, não é algo para deixar uma pessoa insegura? Com medo? Filhos? Eu tenho uma, fez um ano agora em novembro. Tive porque era o meu grande sonho e não para cuidar de mim, como muita gente fala e me irrita!!! E como qualquer mãe, eu não sei se ela vai me ajudar, não quero que seja obrigação,  ela não nasceu para isso, porem eu quero que ela seja solidária comigo e com todos, algo natural sabe?

Não sou só eu que tenho este medo, este pavor! O Damião, colaborador deste blog, teve Poliomielite, também tem este pânico, como ele diz, é algo que o perturba!!! Damião é de uma família grande, 8 irmãos, tem também uma companheira, mesmo assim ele tem pânico. O pai faleceu em 2009, e quando a mãe morrer, como vai ser?

Ele tem ainda um medo maior devido a Síndrome pós-pólio, “A síndrome pós-pólio (SPP) é uma desordem neurológica que acomete pessoas por volta dos 40 anos que, pelo menos 15 anos antes, foram infectadas pelo vírus da poliomielite e desenvolveram uma forma aguda ou inaparente da doença.” Ele não tem certeza se a parceira dele, vai querer ficar com ele, conforme a doença for progredindo...

☛ O que vai ser de mim?
☛ Vou sofrer maus-tratos?
☛ O que eu vou fazer da minha vida?
☛ Como vai ser?
☛ Solidão?
☛ Depressão?

Olha, falei, falei, não tenho, não sei como solucionar, acho que só o tempo vai trazer algumas respostas!!! O objetivo aqui foi fazer uma reflexão, compartilhar um pouquinho dos nossos medos, para você que também tem esse sentimento, saber que não é apenas você!!!

Você também tem este medo?

Gostou do texto? Agora que você já sabe sobre deficiência e o medo da velhice, compartilhe essa postagem em suas redes sociais para que mais pessoas conheçam e estejam bem informadas!

Curta a nossa página no facebook para ficar sempre por dentro das novidades, assine o território deficiente em "ASSINE". Até a próxima!

Essa postagem é exclusiva, não cometa crime de plágio!!! Cite a fonte e o link do blog pelo qual fez uso do artigo.



2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Boa noite. Um tema a ser analisado e estudado com carinho. Medo do futuro não tenho. O passado me deu experiência e proporcionou maturidade para lidar com minhas limitações físicas, que carrego no corpo e na alma à pouco mais de 8 anos. Eu vejo a vida da seguinte forma: Vamos viver um dia por dia, pois planos são feitos e nem sempre realizados. Ou até são realizados e acabam sendo interrompidos.Portanto, meu lema é viver um dia por dia, não levar nada tão a ferro e fogo, não esperar das pessoas próximas aquilo que eles nem sempre estarão dispostos ou em condições de fazer por nós. Vamos focar na independência, na solução de nossas necessidades por nós mesmos, pois tudo que fizerem por nós poderá ser por obrigação, ou pior, por pena. Tem sentimento mais pequeno do que sentir que somos dignos de pena? Eu tô fora. Faça tudo que puder enquanto pode e o dia que não puder mais, contrate pessoas profissionais para cuidar de você. Viver de favor e com gente que tem pena de nós e o pior fim de vida que eu poderia desejar para mim. Prefiro a morte.

    ResponderExcluir

Parceiros do Território